O governador Geraldo Alckmin anunciou, nesta terça-feira, 25 de julho, que autorizará a realização de novos concursos públicos para a Polícia Militar do Estado de São Paulo (PM-SP). Ao todo serão 2.421 vagas, sendo 2.200 para soldados e 221 para alunos oficiais da PM de Barro Branco. Embora a corporação ainda conte com 3.107 postos oriundos de uma autorização para 5.400 vagas de soldados liberada em 31 de agosto de 2016, a nova autorização governamental dá maior flexibilidade ao órgão, em termos de preparação do certame, uma vez que a autorização anterior tinha validade de um ano e expira em 31 de agosto. Porém, a nova conta com uma oferta um pouco menor do que o total remanescente de 2016. A publicação dos editais deve ocorrer até meados do segundo semestre.

A confirmação do certame ocorreu durante evento realizado no Palácio dos Bandeirantes, para a entrega de 72 viaturas para a corporação. No evento, que também contou com a participação do secretário de segurança pública, Mágino Alves Barbosa Filho, também está sendo anunciada medida para reduzir o prazo para que os aspirantes sejam promovidos a oficiais.

Para concorrer aos cargos de soldado e para o curso de oficiais é necessário possuir ensino médio completo, altura mínima de 1,60 m para homens e 1,55 m para mulheres e idade de 17 a 30 anos, de acordo com as novas regras para ingresso na carreira, definidas pela lei complementar 1.291, sancionada pelo governador em julho de 2016. Além disso, para soldados, os participantes deverão possuir carteira de habilitação nas categorias “B” a “E”.

A remuneração inicial dos soldados é de R$ 2.992,54, considerando salário de R$ 2.357,76 e adicional de insalubridade de R$ 634,78.

Para o curso de oficiais, o inicial é de R$ 2.946,54, já considerando o adicional de insalubridade de R$ 634,78. A duração do curso é de quatro anos. No segundo ano, com o adicional, a remuneração vai para R$ 3.106,99, passando para R$ 3.414,53 no terceiro e R$ 3.690,23 no último. Após um período de seis meses a um ano de conclusão, os aprovados passam a ser aspirante a oficial, com inicial de R$ 6.037,35. Ao se tornar segundo tenente, o valor sobe para R$ 6.353,79.

Durante o evento, Alckmin anunciou a redução pela metade do tempo em que o aspirante a oficial, após a formatura, fica em estágio probatório para a promoção para segundo tenente. Atualmente, o aluno oficial se forma aspirante a oficial e fica um ano sem estágio probatório, acompanhando unidades de patrulha nas regiões onde vai atuar, até a promoção a oficial 2º tenente. Com a medida, esse prazo cairá para seis meses.

A idade máxima de 30 anos é considerada até a data da posse, que costuma ser indicada no edital de abertura de inscrições.

Fonte: jcconcursos.uol.com.br

Atendimento via WhatsApp!