Foram publicados no Diário Oficial desta quarta-feira (25) os aguardados editais do concurso público da Polícia Civil do Estado de São Paulo. Oportunidade é de 500 vagas, sendo 300 para o cargo de agente de telecomunicações policial e 200 para papiloscopista policial.

Nesta semana ainda saírão os outros dois editais que somam 600 vagas, sendo 400 para a carreira de agente de polícia e 200 para auxiliar de papiloscopista.

Para ingressar nas carreiras de agente de telecomunicações policial e de papiloscopista policial é necessário possuir diploma de conclusão de curso de ensino médio, carteira de habilitação na categoria “B” e ter conduta irrepreensível na vida pública e privada.

A remuneração inicial de ambas as funções é de R$ 4.281,51, incluindo salário básico de R$ 3.589,87 e adicional de insalubridade de R$ 691,64.

As inscrições do concurso da Polícia Civil/SP serão recebidas entre os dias 3 de maio e 1º de junho. A ficha cadastral estará disponível no endereço eletrônico da Fundação Vunesp (www.vunesp.com.br). O valor da taxa de participação é de R$ 56,54.

Provas do concurso da Polícia Civil/SP 2018

A primeira etapa a ser disputada pelos candidatos será a prova preambular, de caráter eliminatório e classificatório. Ela será constituída de 80 questões objetivas, consistentes em testes de múltipla escolha.

Para o cargo de agente de telecomunicações policial serão 30 questões de língua portuguesa, seis de noções de direito, quatro de noções de criminologia, 30 de noções de informática e comunicação, quatro de noções de lógica e seis de atualidades.

Já para papiloscopista policial são 20 questões de língua portuguesa, cinco de noções de direito, cinco de noções de criminologia, cinco de noções de medicina e odontologia legal, cinco de noções de biologia, 20 de noções de informática, sete de noções de lógica, oito de noções de identificação e cinco de atualidades.

Com quatro horas de duração, a prova preambular será aplicada na data prevista de 1º de julho, nas cidades de Araçatuba, Bauru, Campinas, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo (Capital e Grande São Paulo), Piracicaba e Sorocaba. As informações sobre os locais e horários estarão disponíveis no edital de convocação, a ser publicado, oportunamente, no site da Fundação Vunesp.

Os inscritos no concurso da Polícia Civil/SP 2018 ainda serão avaliados por meio de comprovação de idoneidade e conduta escorreita mediante investigação social, de caráter unicamente eliminatório.

Serão convocados para a comprovação de idoneidade os candidatos habilitados na prova preambular que obtiverem as maiores notas, incluindo-se aqueles eventualmente empatados, no total de 450 para o cargo de agente de telecomunicações policial e 400 para papiloscopista policial.

Atribuições dos cargos da Polícia Civil/SP

Agente de telecomunicações policial – tarefas de transmissão ou recepção de informações de qualquer natureza por fio, radio, eletricidade, meios óticos ou qualquer outro processo eletromagnético, dentre outras a elas relacionadas ou delas decorrentes, além daquelas descritas na Lei Complementar n.º 207, de 5 de janeiro de 1979, e na Portaria DGP-30, de 14 de novembro de 2012.

Papiloscopista policial – estudo das impressões digitais na palma das mãos, dedos e na sola dos pés através das papilas dérmicas aptas a identificar o ser humano. Também cuida dos trabalhos de coleta, análise, pesquisa e arquivamento dos documentos pertinentes, assistindo ao delegado de polícia, além daquelas descritas na Lei Complementar n.º 207, de 5 de janeiro de 1979, e na Portaria DGP-30, de 14 de novembro de 2012. Planejar, coordenar e controlar a realização de captura e pesquisa em banco de dados automatizados de leitura, comparação e identificação de impressões papilares. Realizar a inserção de fragmentos papilares questionados no banco de dados automatizados, bem como o processamento da imagem, pesquisa, leitura, comparação e identificação das impressões papilares padrão; realizar pesquisa nos acervos decadactilar, monodactilar, quiroscópico, podoscópico e fotográfico, bem como a organização sistemática dos mesmos. Proceder à identificação civil e criminal de indivíduos, realizando pesquisas em banco de dados civis e/ou criminais, retrato falado, bem como perícias papiloscópicas em locais de crime ou desastres, em veículos, objetos, documentos e correlatos, requisitadas pelas autoridades policiais e judiciárias, culminando na elaboração de laudo pericial papiloscópico. Aplicar e desenvolver técnicas científicas e procedimentos para o tratamento e aproveitamento do tecido dérmico ou epidérmico de cadáveres, reconstituindo as impressões papilares visando à identificação. Proceder à identificação de cadáveres em diferentes estados, através de perícia necropapiloscópica. Efetuar busca através das impressões papilares de pessoas desaparecidas. Comparecer aos locais de crimes, proceder à técnica de levantamento papiloscópico para posterior localização, revelação, decalque e transporte de fragmentos digitais, palmares e plantares em objetos de diferentes superfícies. Realizar perícias de projeções de envelhecimento e rejuvenescimento facial humana para fins de identificação. Efetuar trabalhos técnicos fotográficos e macro-fotográficos para instruir laudos periciais papiloscópicos e necropapiloscópicos.

Fonte: jcconcursos.uol.com.br

Atendimento via WhatsApp!