Circula na internet desde a noite de quarta-feira (7) o edital do concurso do TRT 15 (Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região), sediado em Campinas, no interior de São Paulo. Organizada pela Fundação Carlos Chagas, a seleção oferece duas vagas imediatas, além de formação de cadastro reserva (CR), e abrirá inscrições em 14 de março. A versão oficial do documento será publicada nesta sexta-feira (9).

Destinada a profissionais com ensino médio, a carreira de técnico judiciário reúne oportunidades em três áreas: administrativa (CR), segurança (CR) e apoio especializado – enfermagem (1 posto), função que também requer formação técnica. Os salários variam de R$ 6.708,53 a R$ 7.766,18.

O cargo de analista judiciário exige curso superior e tem chances nas áreas judiciária (CR), oficial de justiça – avaliador federal (CR), administrativa (CR), arquitetura (CR), história (CR), medicina (1), medicina – psiquiatria (CR), odontologia (CR) e psicologia (CR). Os vencimentos vão de R$ 11.006,83 a R$ 12.742,14.

Além de Campinas, onde fica a sede do órgão, há oportunidades com lotação nos polos de Bauru, Jundiaí, Piracicaba, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba. As cidades abrangidas por cada região podem ser conferidas no edital do concurso do TRT 15.

Concurso TRT 15: inscrições e provas

As inscrições para o concurso do TRT 15 vão de 14 de março a 4 de abril, por meio do site www.concursosfcc.com.br. As taxas custam R$ 80 para técnico e R$ 95 para analista.

O processo seletivo envolverá provas objetiva com 60 perguntas (todos os cargos), discursiva (analista nas áreas de arquitetura, história e oficial de justiça), redação (analista nas áreas administrativa, arquitetura e história e técnico nas áreas administrativa e segurança) e estudo de caso (técnico – especialidade enfermagem e analista nas áreas judiciária, administrativa, medicina, psiquiatria, odontologia e psicologia).

A aplicação dos exames está prevista para 27 de maio, em Bauru, Campinas, Jundiaí, Piracicaba, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba.

O conteúdo programático abrange língua portuguesa, regimento interno, noções sobre direitos das pessoas com deficiência, raciocínio lógico/matemático, lei 8.112/1990 e conhecimentos específicos.

Os concorrentes a técnico judiciário – especialidade segurança também passarão por prova prática de capacidade física, agendada para 23 de setembro, em Campinas.

De acordo com o edital, o concurso do TRT 15 terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão.

Atribuições do técnico judiciário – área administrativa no concurso do TRT 15

Prestar apoio técnico e administrativo pertinente às atribuições das unidades organizacionais; executar tarefas de apoio à atividade judiciária; arquivar documentos; efetuar tarefas relacionadas à movimentação e à guarda de processos; atender ao público interno e externo; classificar e autuar processos; realizar estudos, pesquisas e rotinas administrativa; redigir, digitar e conferir expedientes diversos e executar outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

Conteúdo programático parcial do concurso do TRT 15

Língua portuguesa – Interpretação de texto. Argumentação. Pressupostos e subentendidos. Níveis de linguagem. Articulação do texto: coesão e coerência. Termos da oração. Processos de coordenação e subordinação. Discurso direto e indireto. Tempos, modos e vozes verbais. Classes de palavras. Flexão nominal e verbal. Concordância nominal e verbal. Regência nominal e verbal. Ocorrência da crase. Ortografia e acentuação. Pontuação. Equivalência e transformação de estruturas. Redação. Sintaxe.

Regimento interno do TRT 15 – Disposições Preliminares; Organização do Tribunal; Tribunal Pleno; Órgão especial; Presidência do Tribunal; Corregedoria; Seções Especializadas; Turmas e Câmaras; Escola Judicial; Serviços Administrativos; Pessoal Administrativo; Gabinete dos Desembargadores do Trabalho.

Noções sobre direitos das pessoas com deficiência (Resolução CNJ nº 230/2016 – art. 19): Inclusão, direito e garantias legais e constitucionais das pessoas com deficiência (Lei nº 13.146/2015; Lei nº 11.126/2005 e Constituição Federal). Normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida (Lei nº 10.098/2000 e Decreto 5.296/2004). Prioridade de atendimento às pessoas portadoras de deficiência (Lei nº 10.048/2000 e Decreto 5.296/2004). Direitos no sistema de transporte coletivo (Lei nº 8.899/1994 e Decreto 3.691/2000). Símbolo de identificação de pessoas portadoras de deficiÊncia auditiva (Lei nº 8.160/1991). Normas de apoio às pessoas portadoras de deficiência e sua integração social (Lei nº 7.853/1989 e Decreto nº 3.298/1999).

Fonte: jcconcursos.uol.com.br

Atendimento via WhatsApp!